A análise de viabilidade técnica (AVT) consiste em um estudo técnico que serve de base para a implementação e/ou adaptação de qualquer processo produtivo.

O que é a análise de viabilidade técnica?

A análise de viabilidade técnica (AVT) consiste em um estudo técnico que serve de base para a implementação e/ou adaptação de qualquer processo produtivo. Sua essencialidade fundamenta-se no fato de que não basta somente uma viabilidade econômica-financeira (AVE) para o projeto; isto é, não se pode avaliar somente se o processo trará um lucro considerável. Além disso, é necessário avaliar se a técnica necessária para produzi-lo é alcançável no contexto da sua empresa ou mesmo se ela já existe.

Desse modo, a análise de viabilidade técnica é totalmente baseada em cálculos, estimativas e estatísticas para garantir a segurança e a implementação do processo da melhor forma possível, buscando evitar riscos e mitigar gastos desnecessários durante o projeto.

Primeiros passos

Em primeiro lugar, para começar o estudo da viabilidade técnica, é importante ter um bom conhecimento a respeito  do produto de interesse e, consequentemente, de seu processo produtivo. Assim, estar familiarizado com o que a literatura já apresenta sobre o processo em questão é essencial para seguir em frente.

Nesse sentido, os parâmetros técnicos envolvidos no processo são essenciais em uma produção e, portanto, devem ser estudados com antecedência. Como exemplo de parâmetros iniciais a serem conhecidos pode-se citar:

  • A matéria-prima mais adequada de acordo com as propriedades buscadas na rota produtiva em questão. Algumas características que podem influenciar na escolha são: temperaturas de fusão e/ou ebulição, coeficiente de dilatação térmica, resistência mecânica, entre outros); 
  • Os equipamentos, e seus tipos específicos, componentes da linha de produção como um todo (tubulações, bombas, compressores, reatores, etc);
  • Operações unitárias e as etapas envolvidas específicas de cada processo. As operações unitárias são as reações químicas e as transferências de massa, energia e movimento;
  • Informações a respeito das correntes envolvidas (temperatura, pressão e vazão), que podem ser observadas em diagramas do processo.

A partir de um bom conhecimento sobre esses primeiros passos já é possível seguir com escolhas conscientes e voltadas às necessidades da implementação do processo produtivo. 

Perspectiva qualitativa 

O ser humano é um ser social; isto é, nós dependemos de outras pessoas para praticamente tudo que realizamos em nosso dia a dia, seja em espaços públicos ou privados, como em uma fábrica ou laboratório. Logo, é imprescindível que o contato com terceiros seja muito bem planejado para dar continuidade à implementação de novas ideias.

Assim, verificar se a matéria-prima encomendada está de acordo com as especificações que sua empresa demanda para o processo produtivo a ser introduzido é primordial; uma vez que, somente assim, a qualidade final do novo produto e a satisfação do cliente estarão assegurados.

Além disso, a preparação da equipe que estará direta ou indiretamente ligada ao processo é importante. Essa preparação diz respeito tanto ao número de funcionários que devem ser destinados a cada etapa, quanto ao nível de preparação dos mesmos. Este pode ser um pré-requisito do cargo ou oferecido por meio de treinamentos, por exemplo.

Por fim, a escolha de locais com boas condições é indispensável. Isso envolve saber se o local comporta todo o pessoal e equipamentos necessários e se não interfere negativamente na produção graças aos fatores abióticos (como luminosidade e umidade).

Perspectiva quantitativa 

Um processo bem desenvolvido do ponto de vista químico apresenta uma infinidade de indicadores objetivos. Estes podem ser avaliados por meio dos  cálculos, estimativas e estatísticas mencionados anteriormente, envolvidos em uma análise técnica. Durante os anos de formação de profissionais, como engenheiros, por exemplo, esses indicadores são objetos de estudo, para que na vida real possam ser aplicados, de modo otimizar processos produtivos inéditos ou não.

análise dimensional é um ótimo exemplo a ser comentado: ela é uma maneira de expressar apropriadamente os dados coletados e simular corretamente fenômenos a fim de obter resultados para solucionar problemas reais. Em outras palavras, se um protótipo e um sistema real geometricamente semelhantes tiverem parâmetros adimensionais semelhantes/proporcionais, eles são dinâmica e cineticamente equivalentes e os dados do protótipo podem ser estendidos ao sistema real. Esse conceito pode ser melhor compreendido no conteúdo “Princípios para um scale up de sucesso”.

Leis fundamentais como a Primeira Lei da Termodinâmica e a Lei de Conservação das Massas são também conceitos a serem considerados para determinar a viabilidade técnica de algum processo produtivo. Respectivamente, elas dizem, em termos simplificados, que a energia e a matéria no universo como um todo não são criadas nem destruídas, apenas transformadas, ou seja são constantes. Logo, é possível calcular o tanto de energia utilizado e perdido em cada etapa do processo e/ou o tanto de matéria-prima necessária para se alcançar uma quantidade específica de produto final, o que determina sua viabilidade técnica.

Portanto, uma boa análise de viabilidade técnica é um passo importantíssimo para um bom planejamento e funcionamento do projeto.